terça-feira, 19 de dezembro de 2006

Os Profissionais da Noite


Terça-feira. 1 e 45 da manhã, Dock´s. Ladie´s Night.

A Xana, a Magda e a Vanessa vestiram-se a rigor para a noite. Calça Mango preta, top Zara, bota preta Foreva. Tudo muito discreto, muito in, muito moda de shopping. A Magda estuda à noite e o emprego na loja do Forum Almada permite-lhe entrar no turno da tarde. A Xana, que está a tirar Psicologia numa privada, não parece muito preocupada. A Vanessa é cabeleireira, tem o namorado fora e trouxe as amigas no seu carro. È terça-feira e o Dock´s está como se quer: cheio de gajos a quererem pagar copos. As mulheres não pagam. As despesas correm por conta deles. Os tansos!
E ainda julgam que é por pagar uma vodka laranja que nos levam para a cama! Não queriam eles mais nada!
O Armando e o Jorge já estão no bar. Cotovelo apoiado, whisky na mão, cigarro ao canto da boca e olham a fauna feminina. Só miúdas em grupos.
Armando sorri. Tanta gaja boa por metro quadrado!
No Dock´s, à terça, é sempre assim: só escolher. Há sempre quem dê dois dedos de conversa e, se a noite correr bem, ainda se sai acompanhado para um fim de noite em beleza, no carro, ao pé do rio. Se for uma fulana mesmo boa, até se arrsica a levá-la para o seu apartamento em Sacavém. Se não picar nada, para semana há mais ou ainda há tempo para uma passagem pela Duque de Loulé. Anastasia canta numa qualquer versão remixada, tocada no volume máximo. Na semana passada, uma miúda contou ao Armando que aquela letra lhe trazia recordações do ex-namorado. Ali no Dock´s não há espaço para sentimentalistas. O ambiente convida a saltar para a pista. A decoração africanista (zebra, leopardo...) demonstra que aquele é um espaço para predadores natos. Armando sente-se em casa. Nasceu para engatar. Ele é um cliente típico das mais famosas Ladie´s Nights de Lisboa. Não é, certamente figura que se encontre com facilidade nas restantes noites da casa.

Tentei retratar numa versão ficcionada os "profissionais" da noite lisboeta, verdadeiros playboys e mulheres fatais de subúrbio que tentam preencher o seu vazio existencial desta forma. A foto ilustrativa poderia ser de um qualquer Armando da vida, mas foi tirada na discoteca Kapital, um dos meus locais preferidos em Lisboa. A única diferença é que provavelmente, ele não se chamaria Armando, talvez Diogo ou Bernardo. Mas a atitude, a pose e o olhar matador não diferem muito.
Por vezes fico a pensar...Depois de mais de dois anos no exterior, será que ainda tenho entrada franca neste estabelecimento? De qualquer maneira, espero continuar a sair à noite unicamente para me divertir e espero nunca terminar os meus dias como predador da noite! :)

16 comentários:

Isabel disse...

Obrigada pelo feliz natal, Capitão.

Abraços,

Conceição Bernardino disse...

olá,
adorei o seu cantinho vou vir aqui mais vezes transmite paz e calma
beijinhos
Conceição Bernardino

Haddock disse...

Eu cá prefiro o bairro alto. Obrigado pela visita, volta sempre.

Beetle Bug disse...

Tens toda a razão, é mesmo assim que as coisas acontecem. Mas não generalizes. Sempre que frequento um desses sítios "in" da night lisboeta, e talvez pelo facto de ir sempre em rebanho (lol), nem me apercebo do quão nefastos/pérfidos estes ambientes podem ser. Bares de engate? Serão concerteza! Mas cada um sabe a que vai... eu vou para me divertir :))
Obrigada pela visita, um grande 2007 para ti! *

Tuche disse...

Bom dia Capitão,

olha já me ri com esta tua descrição mas KAPITAL o teu lugar preferido da noite Lisboeta!!!!!!! rrrrrrrrrrrssssssssssssssssss

Desculpa sei que gostos não se discutem.

Beijinhosssssssssss

Maria disse...

É verdade que isso é assim, é verdade que muitas mulheres se despem para um engate e não é menos verdade que muitos homens vão ao Dock's e afins com o único objectivo de "marcarem pontos", mas como em tudo nesta vida, só sai à noite com objectivos de marcação de território quem quer, outros, vão para se divertirem.

Kapital? LOL! Boa viagem, pela parte que me diz respeito Bairro Alto e Lux.

Beijinhos

P.S. - Devias escrever ficção, tens jeito para os ambientes e personagens.

sereia disse...

Predador da noite?? Oh lá...isto promete!

Rita disse...

viva a KAPITAL : )))))))) ve s vens rapido : )))) oh captain my captain : )))))

TONY, Duque do Mucifal disse...

grande capitão. belo naco de prosa. GOstei imenso. Esta crónica tá um must. Talvez muita gente se revesse na "tua história".

Carla Dias disse...

Olá, eu sei que aí há muita variedade de material para bijutaria, mas as vezes quando o material é pouco é quando se criam peças bem diferentes. Além disso também não acho que compense encomendar material do brasil mas obrigada pela dica. :) Jinhu

Carla Dias

Ana disse...

Os cromos da night... quando vinham para o meu lado fazia a bela da dança do cotovelo... ou o meu olhar de "se-me-voltas-a-tocar-ficas-sem-um-braço" e dava certo...

Eu quando ia para a night queria era curtir, não percebo essas miúdas que vão para o engate... Mas enfim... se calhar sou só eu...=)

=P

belinha disse...

Devias continuar e desenvolver a história!!!Feliz Natal!

Breaking the Waves disse...

Se bem me recordo da noite por aquelas bandas, já lá vão uns tempos, era mais ou menos assim... mas havia de tudo!! Incrivel em tantos anos de saídas nocturnas fui a apenas 1 ladies nigtt... detestei! Lol

Gostei muito do blog :)

Paulo Cunha Porto disse...

Meu Caro Capitão-Mor:
Ou de como ser amador é, às vezes, melhor do que profissional.
Bairro Alto, sempre!

Sofia disse...

Essa é uma cena que se repete tantas e tantas vezes em Lisboa ou qualquer outro lugar do mundo. Apesar disso não me parece familiar, não a reconheço nas minhas lembranças. Cada dia que passa eu percebo menos da ( falta de ) expectativa nos relacionamentos, da super exposição. Mas a vida é feita de escolhas !!
Abraços,

marta disse...

Também gosta da Kapital e também gosto do Bairro Alto.
Predadores da noite há muios/as.
Para mim dançar e divertir.
Beijinhos.