sexta-feira, 2 de março de 2007

O mito Dona Beija


Há dias atrás, fui desafiado pela minha blogamiga Rubina, para escrever um pouco sobre Dona Beija, um mito brasileiro que foi imortalizado por diversas obras literárias e uma telenovela em que a actriz Maitê Proença encarnava esta mulher de fibra. Uma história de uma mulher que estava à frente da sua época...

Com a inauguração do Complexo Turístico do Barreiro Araxá passou a ser conhecida nacionalmente. Desde então, o tipo de clima, o valor das suas águas e da lama termal foram associados ao mito Dona Beija, apelido de Anna Jacintha de São José.
Existe, de fato, uma documentação que comprova a existência de Dona Beija indicando que ela nasceu em Formiga, que viveu em Araxá e em Estrela do Sul, onde faleceu em 1873 deixando expressos em testamentos os últimos desejos.
A análise do contexto social da época, sob a ótica dos documentos, nos leva a considerar um factor preponderante: Dona Beija na condição de mulher, de mãe, com estado civil de solteira, moradora no arraial de São Domingos de Araxá nas primeiras décadas do século XIX, teria alcançado ma posição de destaque na sociedade local.

Casou suas filhas com membros de famílias influentes. Num tempo em que as mulheres eram habituadas a saírem de casa somente para assistirem à missa aos domingos (dentro da igreja agrupavam-se na nave, enquanto aos homens era concedido o privilégio de se concentrarem próximos ao altar), Anna Jacintha de São José parece ter sido uma mulher que exerceu a sua cidadania assumindo atitudes atribuídas exclusivamente ao sexo masculino.
A exemplo, algumas iniciativas como solicitar providências à administração pública ou tomar providências que seriam próprias desta, recorrer à justiça, comprar, vender ou construir imóveis, e ocupar uma posição político-partidária como a ocorrida por ocasião do Movimento Político de 1842. Comprovadamente Anna Jacintha de São José foi proprietária de escravos, muitos dos quais ainda baptizou. Foi proprietária de um sobrado situado na praça da antiga Matriz, fato que reforça sua posição social destacada pelo tipo de construção e pela legalização do imóvel na Vila.

Em meados do século XIX, Anna Jacintha de São José teria-se mudado para Bagagem(actual Estrela do Sul) por ocasião da corrida aos diamantes ali encontrados. A busca de novas perspectivas é procedente, bem como, o êxodo da população, já que naquele momento, Araxá atravessava uma fase de estagnação.
A vida de Dona Beija teria despertado atenção e encantamento a partir dos anos 30 e 40, como a construção do Grande Hotel e das Termas do Barreiro. Os trabalhos artísticos que enriquecem as paredes do Balneário mostram a figura dessa personagem e associam sua beleza ao valor das águas e da lama termal. Muitos escritores, araxaenses ou não, escreveram romances que tinham como tema central a vida de Dona Beija.

14 comentários:

Rubina disse...

Capitão-mor

Obrigado por teres aceite o desafio e, tão prontamente, poder saciar a minha curiosidade. Grande mulher a dona beija. Tem um bom fim-de-semana.

Maríita disse...

Que interessante, mais uma mulher que viveu muito mais do que lhe estaria tradicionalmente atribuido. É bom verificar que existem pessoas que não se deixam condicionar pelo que delas se espera.

Beijinhos

sem-comentarios disse...

Eu gosto da história da D. Beija...mas, prefiro a Pagú, que vaz lembrar a nossa Catarina Eufémia ;)

BFS****

Jofre Alves disse...

Agora uma interessante lição de história, fresca e agradável, contada de maneira a cativar. Parabéns e bom fim-de-semana.

Moinante disse...

Capitão-Mor , apresenta-se o grumete Moinante a serviço ...


Xissa meu , és pior que eu , estive uns dias sem passar por aqui e o castigo foi ler até ao cacete , tirando ter que lavar o convés , a ponte e besuntar as dobradiças das vigias ... Na boa curti , excepto aquela cena do Msn. assassinato ...

E a dona Beija , desculpa , mas prefiro a Ilda Furacão ... Que mulher ...

Votos de um óptimo fim de semana .
Grande amigo .

aol disse...

Olá amigo, voltei!!!
Já tinha saudades de passar por aqui e tomar um "banho de cultura".
O Brasil parece estar cheio destas grands mulheres. A D. Beija, a Ilda Furacao... E a Xica da Silva? È mito ou foi mesmo uma mulher de fibra?
Conta mais "estórias".
Beijo grande

MalucaResponsavel disse...

Ola.... mt interessante. uma gd mulher. bj

Miguel disse...

Só conhecia a novela agora fiquei mais ilucidado ...!

Um abraço da Matilde e Cª!

belinha disse...

Ah, eu lembro-me dessa novela. Mas como não vejo novelas, não vi. Mas lembro-me pois acho a Maite muito bonita. Por acaso ela vem aqui à Figueira por estes dias com uma peça de teatro.

AnadoCastelo disse...

Não consegui ver a novela Dona Beija na totalidade, mas adorei a tua história. Grande mulher para a sua altura.
Bjs

crystal disse...

Oiie ,gente tudo bom?
eu só queria saber se a XICA DA SILVA existiu de verdade ou é só mais um mito brasileiro..

respondam-me.

bjoos.

By: Crystal Wandermurem Badi.*

novelista disse...

Acho que mitos são elas todas. De verdade deve ter pouco, de fantasia imenso. Mas essa figura da D. Beija, que conheci pela história que Herval Rossano trouxe para a novela, na altura deixou-me cativada. Procurei saber de tudo sobre ela, o que era feito dos seus descendentes, e se era verdade metade do que aparece na novela... é difícil. Depois fui comprar um dos livros.

Verdade ou mentira, romance ou fantasia...

Ana Lilian disse...

Maitê Proença realmente estava linda na novela ,mas gostaria de vêr alguma foto prá ver se a verdadeira Bija era tão bonita como ela. Achei um barato o SBT reprisar esse grande sucesso. Que mulher corajosa heim...!

Anónimo disse...

Olá Portuga, Estou aqui para te provar que Dona Beija não é um mito, sou tetraneta dela. Tenho fotos dela no album de familia de minha mãe, não na sua beleza e juventude, mas sim um pouco mais velha, acredito que uma depois de mudar para Estrela do Sul, uma outra já bem idosa e uma outra imagem que saiu em um jornal supondo ser ela. Mas se tiver curiosidade também podem encontrar mais sobre ela, assim como ver a fonte onde ela tomava seus famosos banhos nua em Araxá. O Palacete que ela construiu na cidade é um museu e tem de vestuarios dela até transportes, Já a chacara Jatobá eu não tenho certeza, mas até onde eu sei funcionava um convento. hauhauha
Abraço Thaís Castro