segunda-feira, 3 de março de 2008

A Sete Horas de Distância


Existe uma terra que foi abençoada pela mão de Deus e que encantou logo na primeira visita. Uma beleza natural que me vai seduzindo cada vez mais e me proporciona uma sensação de liberdade difícil de descrever. Portugal tornou-se uma realidade distante, cinzenta e sem apelo, definitivamente guardada no baú das memórias. Talvez o meu amadurecimento ou o destino me tenha feito descobrir que fui talhado para viver em paragens exóticas e afastado de uma certa arrogância europeia que já não tolero.
Lugares de luz e cor, onde os sonhos ainda parecem estar ao alcance das minhas mãos...

8 comentários:

Evelyne Furtado disse...

Apenas sete horas, Capitão. As duas terras têm seus encantos, embora eu entenda sua atração por essa cidade abençoada por Deus e bonita de natureza. Tenho impressão que Natal tbm gosta de vc.
Quanto ao esnobismo, não entendo isso...Não vejo motivo. Cada povo tem sua cultura e seus valores que devem ser respeitados

Boa semana!

Teresa disse...

entendi a deixa ;)

beijão pelo seu empenho!

Vieira Calado disse...

Tenho de ir ao Brasil!
E não passa do próximo inverno, que é verão aí...
Cumprimentos

Carla disse...

Como o compreendo capitão!
sempre que passo por aí fico tentada a não regressar... é a luz, a cor, a alegria espontânea e acima de tudo o espaço que se prolonga até ao infinito
uma boa semana
beijinhos

Peach disse...

sabes... eu qualquer dia mato-te lolll
nós aqui com chuva, mortinhos que chegue a primavera... e tu só a mostrares verão e coisas lindas!!!!

beijo

Cristina disse...

Passei para deixar um beijinho de boa semana! :)

T disse...

O Brasil é fascinante. Compreendo-te:)

Mad disse...

Traidor!