segunda-feira, 21 de abril de 2008

A Casa em Sintra


Eu sei de uma casa em Sintra
Que era onde eu queria morar
Respirar o ar sagrado
Que os antigos conheciam

Sintra foi por muito tempo
O santuário de peregrinação
Era aqui que acabavam
As viagens todas em meditação

E eu vejo aquelas casas
Dos que moram lá em baixo
Não se dão conta de nada
Nunca deram atenção

Ao esplendor da luz da lua
E a todo o ministério quando a noite cai
Qualquer um fica perdido
Não vê no escuro para onde é que vai

Era numa casa em Sintra
Que eu gostava de morar
Nos lugares do fim do mundo
Onde a história se escondeu

Era numa casa em Sintra
Bem por cima de todo o mar
Que eu gostava de ir ao fundo
Descobrir bem quem eu sou

Eu deixei meu cavalo
Nos jardins de Monserrate
Porque quis impressioná-lo
Com o chão que pisaria

Da minha janela em Sintra
Vejo viver todo o universo
A minha guitarra em Sintra
Deixa-me ouvir todo o universo

Era numa casa em Sintra
Que eu gostava de morar
E o desejo era tão grande
Que assim aconteceu

É na minha casa em Sintra
Que eu gosto de chegar
Descansar da volta ao mundo
Descobrir bem quem sou eu

Vamos lá subindo
Por esses montes fora
Que a manhã vem vindo
Dos lados d'aurora...

Delfins, Ser Maior - Uma História Natural

7 comentários:

Maríita disse...

Adoro essa estrada, que encerra sombras e ruídos próprios...

Beijinhos

Gi disse...

Também não me importava
de lá morar
(não conhecia isto)

Um beijinho, vou ler mais abaixo

Evelyne Furtado disse...

Que bonito !! :)

AnadoCastelo disse...

Sintra também é um dos lugares que eu não me importava nada de morar. Só abrir os olhos de manhã e ver aquele verde todo fica-se logo bem disposto. É realmente um lugar fantástico.
Bjs

belinha disse...

Olá!Uma bela casa em Sintra!Não me importava nada!Há uns meses vi um programa sobre Natal e Pipa:lindas praias, lindos restaurantes, pequenos e muito interessantes...e belos camarões!Isso é booommmm por aí!Boa semana!

Cristina disse...

Gosto tanto, mas tanto de Sintra... é de uma beleza tal que nem precisa de se esforçar para ser agradável!

Paula Crespo disse...

Nem vale a pena dizer que gosto da casa, do poema, de Sintra, etc.!! Já agora, também gosto da foto: belos tons!!
bjs