quinta-feira, 7 de dezembro de 2006

Leitura na Bagagem




Um dos grandes interesses que tenho na vida são as viagens. Considero extremamente interessante conhecer novas paisagens, contactar com outros modos de vida, ouvir dialectos diferentes e conhecer novas pessoas. No entanto, nunca fui apreciador de viagens de grupo ou da compra de pacotes turísticos com horários e roteiros pré estabelecidos. Optei sempre por viajar de modo independente, planear o meu próprio trajecto, escolher alojamentos mais económicos, previligiando o contacto de perto e viver de perto o quotidiano das populações locais.


Já tive a felicidade de realizar algumas viagens extremamente enriquecedoras e ainda alimento o sonho de percorrer todos os territórios lusófonos. Nunca senti o apelo das grandes metrópoles nem dos destinos mais convencionais, pois tenho verdadeiro pavor de locais infestados de turistas acometidos de síndrome fotográfica compulsiva.


Nestas minhas aventuras, sempre me socorri da ajuda de guias de viagem estrangeiros que, oferecem informação bastante detalhada dos locais mais remotos que possam imaginar. Tenho clara preferência pelos guias da Lonely Planet e Rough Guides pelo seu elevado grau de detalhe. Sugiro a aquisição de qualquer um destes livros, para todos aqueles que pretendem visitar o Brasil nos próximos meses. Também poderá ser um presente natalício de extrema utilidade para os vossos amigos que possuam planos semelhantes. Encontram-se disponíveis nas secções de turismo/viagens de qualquer boa livraria.

Boa viagem!

6 comentários:

Maria disse...

E a Lonely Planet tem mapas fantásticos... é uma boa sugestão sim senhor, mas a compra do livro não dispensa guias em carne e osso, portanto se eu for ao Brasil, a Sofia e tu, vão ter que me guiar.

Beijinhos

Maria disse...

Enquanto eu vou viajar por aqui no blog, vá até ao seu texto sobre camarate, que tem lá um link interessante... sobre o mesmo assunto.
Fique bem

Paulo Sempre disse...

Para viajar nas asas do vento...,de Lisboa aos trópicos, não não é necessário um "guia"...basta seguir o sonho...
Abraço
Paulo

belém disse...

Ah, concordo perfeitamente com essa aversão aos pacotes turísticos. Nos últimos anos fiz viagens fantásticas por exemplo aí no Brasil, à solta com mapas, paciência e curiosidade. Férias à medida, isso sim, vale a pena. (mesmo para metrópoles, diria eu).

Paulo Cunha Porto disse...

O melhor guia turístico parece ser este Blogue. Para quê mais?
Abraço

Sofia disse...

SofiaTour à disposição ;)
Abraços,