sexta-feira, 8 de dezembro de 2006

A minha fiel amiga


Na pacata região da cidade de Apolda, famosa também por ser a cidade natal de Lutero, havia uma grande feira de cães na praça municipal. Um cobrador de impostos chamado Ludwig von Dobermann necessitava de um cão de guarda que o protegesse nas suas andanças com muito dinheiro, que fosse rápido e ágil, inteligente e uma poderosa mordida.
Começou para tanto, na procura para o cão de guarda perfeito, iniciou com seus pinschers médios, que cruzou com um weimaraner e posteriormente com um pastor preto e com marcações alouradas, um tipo primitivo de rottweiler, supondo também que houvesse uma presença de pastor alemão no sangue.
Com a morte de herr Dobermann dez anos após o início da criação da raça, seu amigo, Otto Goeller, continuou o refinamento e introduziu o greyhound no sangue, que deu a importantíssima velocidade. Com isso surgira um cão com patas largas, porte avantajado e exepcional faro (weimaraner), coloração negra e poderosa mordida (rottweiller), pêlo curto e atenção a estranhos (pinscher), inteligência, docilidade e adestrabilidade (pastor alemão) e velocidade, capaz de atingir 55 km/h(greyhound).

Aparência:
Tamanho médio, construção quase quadrada, forte e musculoso. Linhas elegantes, postura erecta e orgulhosa.
A pelagem é simples, curta, dura, espessa e bem assentada. Pele retesada e aderente, enaltecendo sua modelagem seca e refinada. A cor varia entre preto, marrom escuro e azul, com marcação castanho, claramente definida, isenta de pêlos pretos: no focinho; lábios; uma em cada bochecha e acima de cada olho; na garganta; duas marcas no antepeito; pernas e patas: na face interna das coxas e sob a cauda.

Temperamento:
Temperamento firme, expressão determinada e capaz de sacrificar a vida pelo pelo dono. É o quinto na classificação canina de inteligência.
Fonte: Wikipédia


Esta sempre foi umas das minhas raças preferidas mas, em Portugal nunca tive oportunidade de possuir nenhum devido às limitações de espaço que um apartamento acarreta. No Brasil, tratei de procurar um espécime para companhia e vigilância da casa, verificando desde logo que muitos mitos que existem em torno da raça são completamente falsos. Ainda não completou um ano, é um pouco impulsiva por ser jovem, mas extremamente dócil para os donos. Contudo, revela-se bastante hostil aos estranhos que se aproximam do portão, tem ódio de gatos e insiste em destruir a flora do quintal para desgosto da minha mãe. Apresento-vos a minha fiel amiga - a Pipa.

12 comentários:

Rita disse...

os dobermans são conhecidos por serem agressivos com quem n conhecem...

Isabel disse...

Ela tem uma cara de braba... Eu, pessoalmente, tenho medo de cachorros, tenham o tamanho que tiver. Mas concordo com você, são animais fiéis, sim.

Cheiros,

Tita - Uma mulher, Um blog, algumas palavras disse...

A Pipa é linda!
Reconheço as qualidades dos doberman, mas confesso que tenho medo deles. Sempre que vejo um cão desses, tenho-lhe imenso respeito e admito, hesito passar ao lado.

Beijinhos e bom fim de semana

Mel disse...

Tenho 2 cachorros lindos, um poodle e um cockie!
:) O que sei dos dobermans é que são muito agressivos... Vixe, que medo!

Paulo Cunha Porto disse...

Meu Caro Capitão-Mor:
Por acaso dou-me muito bem com cães, mesmo os tidos por mais ferozes. No entanto, dado que, presentemente, possuo três gatos, talvez seja bom não abdicarmos da seguraça da "net", que ela não teria dificuldades em farejar o "inimigo". Faça, por favor, uma festinha, por mim, à Pipa, que, aliás, tem o nome de uma Querida Amiga Minha, humana.
Abraço.

marta disse...

O meu é um Pastor Alemão. Também não pode ver ninguém a passar na rua. Um doce.
Beijinhos

belinha disse...

Que bonita!Eu não tenho cães mas a minha irmã tem desde Fevereiro um Shar Pei.É uma raça pouco conhecida, acho eu,que nunca tinha visto um até este aparecer cá em casa.Detesta estranhos e quaisquer outros cães!!Exceptuando alguma situações que decorrem disso é fixe!Ah, baba um pouco demais para meu gosto, penso que sucede com todos os cães que têm focinho quadrado...É espectacular ter um cão.Neste momento da minha vida não poderia ter um mas um dia mais tarde espero poder vir a ter um companheiro de 4 patas!!:-)

Sofia disse...

Estou jogando no time do Paulo Cunha Porto: também tenho três gatos e não me arrisco a passar perto de cachorros. Não que eu desgoste deles, ao contrário, adoro animais, mas penso que já estou impreganada com o perfume felino.
Abraços,

marco disse...

eu tb adoro caes!
tenho um collie!

Maria disse...

É muito gira ;)!

Beijinhos

clara disse...

nao gosto muito de doberman :S adoro os boxers :) de qq forma, parabens pela pipa :) é tao bom ter uma cadelinha :)

Luís Graça disse...

Aqui no prédio também há uma...Pipas. É um Teckel de pelo raso e tem a mania que é vedeta. E morde, quando calha.

Sempre gostei de Dobermann. No final dos anos 70 vi dois filmes no cinema: "A quadrilha Dobermann" e "O assalto Dobermann". No actual King Triplex, na altura Vox.

As minhas cicatrizes a sério, nas mãos, são de um boxer (o "Sir", mordeu e não abriu a boca, tiveram de lha abrir e puxar-me a mão, tinha eu 12 anos) e de um grande rafeiro, o "Leão", que era o cão do caseiro da Federação Portuguesa de Futebol. Com essa de manter o sangue frio e não puxar a mão levei três dentadas em vez de uma.
Jornalista mordido em plena Federação(91 ou 92). O "Leão",nos dias maus, atacou mais gente. Nos dias bons era um bacano.