sábado, 12 de maio de 2007

Operação Paraíso


"A Polícia Federal e a Okokrim (Polícia Nacional da Noruega) desbarataram a quadrilha de brasileiros, noruegueses e paquistaneses que usou o Rio Grande do Norte como base na “lavagem” de 50 milhões de dólares (cerca de R$ 100,3 milhões) originários de ações criminosas. O dinheiro “sujo” foi usado para a compra e construção de hotéis, resorts e condomínios de luxo no Rio Grande do Norte entre 2002 e 2007. Nove pessoas foram presas em Natal e outras 15 em Oslo, na Noruega, na maior operação conjunta envolvendo as polícias dos dois países. Outras duas pessoas ainda são procuradas pela polícia, uma aqui em Natal e outra na Europa.

O bando norueguês, conhecido como “B-Gang”, é responsável por seqüestros, extorsões, assaltos e tráfico de drogas na Europa. O grupo é liderado por paquistaneses e atua, principalmente, em Oslo. Atualmente, o “B-Gang” é o maior causador de problemas na segurança pública da Noruega. Segundo a PF, o bando praticava crimes naquele país e “lavava” o dinheiro obtido de forma ilícita comprando terrenos e construindo luxuosos imóveis no RN, sobretudo no litoral entre Ponta Negra e Tabatinga. Os imóveis, em sua maioria, eram hotéis e resorts destinados a estrangeiros. O dinheiro obtido com o lucro dos empreendimentos era enviado para o Paquistão, onde os líderes do grupo - Ghulam Rassol e Shahid Rassol e família -, os utilizavam de forma lícita e também, segundo a PF, para financiar novos crimes.
Segundo o delegado Rômulo Berredo, especialista no combate ao crime organizado, o “B-Gang” começou a ser investigado no Brasil a partir da divulgação, em março do ano passado, da existência do esquema através de matérias conjuntas do jornal norueguês Dagens Naerigsliv e da TRIBUNA DO NORTE. A TN manteve uma parceria com dois jornalistas noruegueses, apoiando-os quando eles estiveram em Natal para completar investigações sobre as atividades do bando. A PF, no dia seguinte à reportagem da TRIBUNA, montou um grupo de trabalho com o Ministério Público Federal e a Interpol para apurar o caso. Com a confirmação das suspeitas, a Okokrim também foi acionada.

“Verificamos que os nomes citados na reportagem eram de pessoas com antecedentes criminais na Noruega. Essa ação conjunta teve total apoio do governo norueguês”, disse o delegado. A partir daí, a PF e a Okokrim quebraram, com autorização judicial, os sigilos bancários dos suspeitos. Verificou-se então que a renda deles na Noruega era imcompatível com os investimentos em Natal. “Eles usavam laranjas para a sociedade nos empreendimentos. Muitas empresas abertas por eles tinham o mesmo endereço”, disse o delegado.
O “B-Gang”, segundo a PF, se assemelha à facção criminosa paulista Primeiro Comando da Capital, o PCC, no modo de agir. “Eles faziam de tudo. De extorsão a assassinatos”, disse o superintendente regional da PF no RN, Euclides Rodrigues.

Em Natal, os noruegueses constituíram empresas para a aquisição dos imóveis. Três delas eram mais ativas: o Blue Marlin, Natal Invest e o Grupo Capricórnio, todas com sede na capital potiguar e comandadas por noruegueses. A Natal Invest pertence a Oisten Hanse; a Blue Marlin por Trygue Kristiansen; e o Grupo Capricórnio. Essas empresas receberam a consultoria do advogado potiguar Alberto Aulio, que depois passou a ser sócio em algumas transações. A mulher e a cunhada do advogado, segundo a PF, também participaram do esquema ilegal e foram presas na ação de ontem.
O grupo será indiciado no Brasil por crime contra a ordem tributária, crime contra o sistema financeiro nacional, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e formação de quadrilha."
Artigo de Augusto César Bezerra in Tribuna do Norte (10/05/2007)

Desde a minha chegada em 2004, já foram realizadas diversas operações deste tipo. Infelizmente, o Rio Grande do Norte torna-se cada vez mais, local de operações para diversas organizações criminosas transnacionais. Negócios relacionados com a prostituição, tráfico de seres humanos e branqueamento de capitais destacam-se nas operações predilectas destes grupos. Não me admiro, portanto, que algumas vezes a comunidade estrangeira residente em Natal seja olhada com alguma desconfiança...

7 comentários:

AnadoCastelo disse...

Porque será que estas coisas, infelizmente, não me surpreendem? Aqui, por exemplo, diz-se de boca em boca, que a mafia de leste já cá anda por estes lados, mas não se vê, pelo que se saiba, as autoridades a tomarem medidas. Estamos entregues aos bichos, é o que é.
Bjs e bom fim de semana

Breaking the Waves disse...

Bom fim de semana!

Moinante disse...

E só os portugas é que têm fama !!!


Votos de continuação de um bom fim de semana .

Mel disse...

Feliz dia das mães, capitão. Boa semana!

LoiS disse...

Máfias existem em todo o lado.

Anónimo disse...

http://www.diariodenatal.com.br/2009/11/27/cidades8_0.php

arvid disse...

Quero saber sim e verdade que representante de Interpol noruegese Jan Erik Nybakk disse; "As compras tem o objeto de lavar o dinheiro sujo"
Arvid