sábado, 19 de abril de 2008

Literatura de Cordel


A presença da literatura de cordel no Nordeste tem raízes lusitanas; veio-nos com o ramanceiro penisular, e possivelmente começam estes romances a ser divulgados, entre nós, já no século XVI, ou o mais tardar, no XVII." - escreve o Professor Gilfrancisco em detalhado artigo sobre as origens desta tradição.
O primeiro estudioso brasileiro a indicar essas fontes para as narrativas em verso e registo de factos memoráveis em folhetos, foi Luis da Câmara Cascudo (1898-1986), autor de uma obra fundamental para os estudos etnográficos e antropológicos no Brasil.

Literatura de Cordel, denominação dada em Portugal e difundida no Brasil, é poesia popular, história contada em versos, em estrofes a rimar, escrita em papel comum feita para ler ou cantar. A capa do folheto é em xilogravura, trabalho artesão que esculpe em madeira um desenho preparando a matriz para reprodução.

2 comentários:

AnadoCastelo disse...

Engraçado, lembro-me bem de quando era miúda e de nos baterem à porta com livrinhos pequenos parecidos com estes, pagava-se uns tostões e depois voltavam na semana seguinte com a continuação da história da semana anterior.
Bjs e bom fim de semana

Júlia Moura Lopes disse...

tenho um amigo que é eximio nisso.

Eu acho muita piada á literatura de cordel.

beijinhos,amigo