quarta-feira, 22 de novembro de 2006

Excesso de brasileiras

Em dez anos, a diferença entre o número de mulheres e de homens cresceu para 4,3 milhões (57% em relação há dez anos atrás), segundo os últimos dados do IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Em 1992, para uma população de 45 milhões de brasileiros, existiam 2,7 milhões de mulheres (74,1 milhões) a mais que homens (71,3 milhões).

Em 2003, a população cresceu, atingindo 174 milhões de habitantes, com uma diferença de 4,3 milhões entre o número de mulheres (89,1 milhões) e de homens (84,9 milhões). Especialistas explicam que até à idade de 19 anos chegam a existir mais homens que mulheres, na população adolescente (1,2 milhão a mais) ; mas depois disso a chamada sobremortalidade masculina (maior risco de vida para homens, provocado pela violência urbana) trata de inverter as estatísticas. Entre as capitais estaduais, o Rio de Janeiro mantem a maior distância do equilíbrio (86,5 homens para cada cem mulheres), seguido de Recife (89,3), Natal (90,0) e de São Paulo (91,5). Apenas no Estado do Amapá, com 6687 homens a mais, é que as mulheres são minoria.

Agora entendo quando elas dizem: "Arrumar homem hoje em dia significa não sair de cima!". Por outro lado, qualquer tipo de comportamento polígamo por parte dos homens acaba por ser desculpável. Afinal de contas, estamos a falar de estabilidade na ordem social...

9 comentários:

Anónimo disse...

Os homens têm sempre de arranjar desculpas. Esta não é das piores.
:)

TONY, Duque do Mucifal disse...

eh eh eh
GANDA CAPITÃO!
É um bom argumento e olha que até tem bastante nexo!

Sofia disse...

Ahahahahh,
Como diz uma amiga minha. " a estatística é a arte de torturar os números até que eles digam o que queremos ouvir".
Boa desculpa, boa desculpa ...
Abraços,

Jade disse...

Nada tenho contra a poligamia, desde que as partes interessadas estejam de acordo!
Beijinhos...

Ana disse...

Pois! Por isso é que elas vêm p'ra cá!!

Mas olhem, meninas! Por aqui tambem somos sete para apenas um! Acho melhor procurarem na China...com a política de natalidade que têm vindo a aplicar por lá...já devem ser mais que as mães!

(este comentário não tem qualquer intenção descriminatória, hein?? Até porque acabei de ganhar uma cunhadinha brasileira e até gosto da rapariguinha!!)

beijocas lusitanas

Mel disse...

Essa desculpa não cola mesmo!
Sou completamente contra a poligamia!
:)

TONY, Duque do Mucifal disse...

Logo o Capitão que só pretendia criar estabilidade social!

Marta disse...

Já percebi porque é que vêm tantas para Portugal.
E porque é que quase todas são putas?

Paulo Cunha Porto disse...

Meu Caro Capitão-Mor, entendo o Seu ponto de vista. Mas tenha compaixão de nós, cá pelo Velho Continente, que temos tido algumas alegrias a absorver essas sobras...
E um desafio às Senhoras: qual a posição de cada uma acerca da poliandria?
Abraço e beijinhos às Comentadoras.