sábado, 18 de novembro de 2006

A segunda mulher na cama

Conheci Sílvio há cerca de cinco anos e há alguns meses começamos a namorar. Namoro gostoso, cúmplice, relacionamento sexual ardente. Numa noite em que eu havia bebido um pouco demais, e talvez pela intimidade que já possuíamos, contei a ele uma fantasia sexual antiga: ter uma relação sexual com o meu parceiro e outra mulher. Isso apimentou mais as nossas noites, e a fantasia está se tornando concreta, chegamos até a trocar ideias do tipo físico que mais nos interessa. Nunca vivi isso, não sinto atracção por mulheres, a fantasia é dar prazer ao meu homem e vivendo isso com ele, a outra mulher seria apenas para nos proporcionar prazer. Acabando aquele encontro, eu é que continuaria sendo a parceira, recebendo o carinho e amor dele. Agora me pergunto se estou preparada para viver a realidade: o medo dos dias seguintes em relação a ele. Será que ele vai continuar a me desejar como cúmplice, amiga, parceira, além de amante? E por que este desejo? Por que desejar mais uma mulher apenas como objecto para satisfazer os nossos desejos? Tenho medo de me tornar apenas um objeto, como desejo que seja a mulhe que "escolheríamos". Marisa, Natal, RN
Texto extraído do Consultório Sexual do jornal Tribuna do Norte

Aqui fica exposta uma fantasia típicamente masculina expressa por uma mulher. Não acredito que nenhum homem nunca tenha desejado, nem que seja nos seus pensamentos mais secretos uma situação deste tipo. Não coloquei propositadamente a resposta dada pelo sexólogo e espero que sejam vocês a cumprir esse papel seguindo as vossas convicções sobre este assunto delicado.
Já sei se antemão que muitos elementos do clã masculino não rejeitariam uma parceira tão afoita... :)

10 comentários:

APC disse...

E pronto, eis a tua boa acção do dia, um bom serviço público, a bem da comunidade! :-)))

Miguel disse...

Pode ser uma fantasia ...
Mas na verdade, sou um "One girl Man"!

Um bom domingo!
Aquele abraço tuga da Minha Matilde e Cª!

Paulo Cunha Porto disse...

Mas olhe, Caro Capitão-Mor, que não sei se é fantasia puramente masculina. Já duas Mulheres me disseram que As fascinava o mesmo, por quererem juntar uma pretensa maior competência feminina nas carícias e aquilo que se sabe, dos homens. Claro que nenhuma das Duas tinha chegado a essas andanças com este seu criado.
Entretanto, o nosso colega do SGBuíça é catedrático na matéria.
Abraço.

Mar e Serra disse...

olä
obrigada pela visita.
Para apimentar uma relacäo näo se precisa de uma terceira pessoa...
Um beijinho

Ana disse...

Tenho de fazer aqui uma correcção: cada vez menos estas fantasias se limitam a fazer parte do universo masculino. E ainda bem!
Como já referi no post anterior, tudo o que fôr para " animar a festa", neste caso, tudo o que seja do agrado e vontade dos dois...que seja feito!

O resultado? Podem ser tantos! Há quem consiga separar o joio do trigo e continua tudo bem... e há quem nunca mais volte a ser o mesmo.

Só arrisca quem quer.

Bjs

MalucaResponsavel disse...

acho q essas fantasias, hj em dia, n sao apenas dos homens ... e ainda bem... :) kiss

Teresa Durães disse...

nã... a dois chega. três é demais!

boa tarde

TONY, Duque do Mucifal disse...

Concordo com a Ana. Há casos em que a relação pode mudar drasticamente.
Capitao, tens um tema pra explorar. A anorexia.
Como é possivel? Em tão poucos dias morrem 2 miudas. E eram giras. Mas o que se passa? Qual o modelo de beleza vigente no Brasil? Elas morreram com pele e osso. QUe loucura!
Se olharmos para os icones da TV Brasileira, vemos que têm algo para agarrar...Juliana Paes, Daniela Winits, Ximenes, Ninel Conde, Karina Bachi, Priscilla Fantini, etc etc etc...

Anónimo disse...

Acho que isto de duas mulheres e um homem é complicado.
Neste caso particular inclino-me para que seja por insegurança no prazer que dá ao companheiro e depois a oferta ainda a torna mais insegura.
No caso que o Paulo Cunha Porto expõe, penso, talvez mal, que é assumida uma apetência para uma relação lésbica defendida com o alto patrocínio de um Homem.
De todas as formas, penso que a proposta feita por uma mulher é extremamente ambígua.
Eu não sou psicóloga e posso estar a dizer os maiores disparates.

Anónimo disse...

Pois eu acho tudo muito bem. Desde que sejam todos adultos e consintam, tudo é permitido.
Agora... agora... a capacidade que um casal pode ter ou não para aguentar uma situação de «partilha», também é da responsabilidade de cada um. Se nuna casos pode aproximar, pela cumplicidade implícita, noutros pode afastar, se não conseguirem «integrar» a experiência nas suas vidsas.
Se ela já está com receio antes de fazer, o melhor é não arriscar.
Há que medir até que ponto a realização dessa fantasia é importante para o casal.
Boa noite, sr. Capitão-Mor!