terça-feira, 26 de dezembro de 2006

Alguém se lembra?




Sou um saudosista por natureza. Este meu comportamento patológico, leva-me até a ter saudades de marcas e modelos de automóveis do passado. Hoje, recordo o UMM Alter, viatura todo-o-terreno de fabrico nacional que alcançou um relativo sucesso no final dos anos 80 e princípios da década de 90. Era produzido nas instalações da União Metalo Mecânica, em Queluz de Baixo, tendo sido comercializado até 1993. Nesses anos, era frequente cruzarmo-nos com estes jipes nas estradas portuguesas, muitos foram adquiridos pelas Forças Armadas e também eram exportados para os PALOP. Tinham uma aparência bastante rústica, eram equipados com um motor 2500cc diesel da Peugeot e possuidores de um excelente desempenho fora de estrada. A marca era presença habitual em provas desportivas de todo-o-terreno, chegando mesmo a participar no célebre Paris-Dakar.
Recordo-me perfeitamente, que foi o primeiro carro que sonhei adquirir, ainda durante o período de aprendizagem de condução. No entanto, por prudência paternal, acabei por me estrear ao volante de um carro bem mais convencional.
Actualmente, já se torna difícil avistar algum destes jipes nas nossas estradas. Chegou-se a especular o regresso da marca ao mercado com um modelo mais evoluído, mas os projectos nunca saíram do papel. De qualquer modo, acredito que seja um modelo a ser preservado pelos coleccionadores de automóveis. A recordação de um carro totalmente português.

8 comentários:

marta disse...

Eu lembro-me!
À conta de tanto ter querido um jeep desses, acabei, muito mais tarde, por comprar outro, já que essestinham acabado.
beijinhos

Maria disse...

Claro que sim!

Tenho um amigo de infância que teve um que andou até já nem com peças feitas de propósito pelo mecânico, outro grande maluco, o jipe andar. Ainda hoje ele chora pelo carro e a irmã também, ela diz que se fosse ela a conduzir sempre o jipe nada daquilo (a morte do bichinho) tinha acontecido...
Beijocas

sem-comentarios disse...

Jeeps de baixo preço e optimos para a "guerra" , mt bons :)

Paulo Cunha Porto disse...

Meu Caro Capitão-Mor:
Quem, como este Seu amigo, passou mais de catorze meses na tropa lembra essa carripana quase como um namoro antigo, tanta vez andou em cima dele, hihihihi.
Abraço.

José Cavalheiro disse...

Tens toda a razão.
Já se vêm poucos por ai.
Mas continuar a sonhar que no "País de Socrates" nasça uma qualquer empresa que produza seja o que for é pura miragem virtual.
Desejo que o Natal tenha sido bom.
Desejo-te um Bom Ano de 2007
Fica bem

Claudinha disse...

Olá Capitão, não me lembro destes modelos não. Mas me lembro muito dos brasileirinhos que meu avô tinha... Beijos! Feliz 2007!

belinha disse...

Nem sabia que tinha existido!!!Mas eu sou anti-carros, só há pouco é que tirei a carta.Todavia descobri que até gosto de conduzir!!:-)

PE disse...

Ainda os há por aí... :-)
http://qu3mx0u3u.blogspot.com/2007/02/foi-no-dia-dos-namorados.html

E continuam tão espectaculares como "antigamente"... ou ainda melhores!