quarta-feira, 28 de novembro de 2007

A Chegada da Corte Portuguesa ao Brasil


Da banda desenhada à arte contemporânea, do teatro ao bailado, das conferências às reconstituições históricas, são múltiplas as iniciativas inseridas no programa de actividades dos 200 anos da ida da corte portuguesa para o Brasil. O programa detalhado foi apresentado ontem, no Museu de Marinha, num espaço fronteiro ao local onde, faz hoje precisamente 200 anos, se deu o embarque.
Entre as propostas do plano comemorativo estão, para 2008, no Brasil, o bailado Pedro e Inês, pela Companhia Nacional de Bailado, a peça Nação crioula, de José Eduardo Agualusa, com actores dos dois países e a exposição "Linha do horizonte", comissariada por Bernardo Pinto de Almeida e onde se apresentam 150 obras representativas dos últimos 50 anos de arte portuguesa.

Presente nesta apresentação das comemorações, a ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima, lembrou que a partida da corte portuguesa do Brasil, fugindo às tropas napoleónicas, "foi uma aventura extraordinária. Na realidade, tratou-se de uma transferência de soberania de Lisboa para o Rio de Janeiro, tornando-se assim na única monarquia europeia que não claudicou face aos invasores".
Refira-se que hoje, no Museu de Marinha, é inaugurada a exposição "1807 O embarque da família real para o Brasil", inserida no programa comemorativo.

5 comentários:

Gi disse...

A esta hora já não vejo nada á frente, tenhoq ue te ler com mais calma, Vin só avisar que tens um prémio parareceber, se quiseres podes trazer dois que udeles é para todos.

beijinhos

Não precisas entregar ticket para levantar, a encomenda está á entrada, o resto está tudo em arquivo

O Réprobo disse...

Este é o problema que, da óptica portuguesa, o «Anarcoconservador» denunciou: o motivo da ida, uma invasão que tanto mal fez, deverá ser comemorado?
Abraço, Caro Capitão-mor

Peach disse...

por acaso acho que deve ser extremamente interessante. gosto imenso de historia.

... só que hoje não dou pra mais, tou doente! gripe!

beijo

Rubina disse...

Uma mudança, aliás, bastante ridicularizada pelos brasileiros...

AnadoCastelo disse...

Somos uns eternos saudosistas. Enfim.
Bjs