quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Trechos do Exílio

A quantidade de pessoas que não tem nada. Que desaparece porque está cansada. Que volta para o Brasil porque não tem vida deste lado do mar, ou que vive no Brasil porque tem medo de ser encontrada pelo passado e pelos seus vizinhos, pelos conhecidos que conhecem a sua vida, pelos desconhecidos que podem vir a conhecer a sua vida.
Francisco José Viegas, Longe de Manaus

4 comentários:

O Réprobo disse...

Meu Caro Capitão-Mor,
Não creio que o Brasil seja sobretudo fuga. Pode ainda ser miragem, mas na maior parte dos casos será paixão.

AnadoCastelo disse...

Estou de acordo com o réprobo quando diz que o Brasil seja fuga. Agora o Francisco José Viegas esqueceu que esteve aí no Brasil porque fez as pazes com a mulher e depois como não deu veio-se embora.
Bjs

PS: desculpa a má lingua

Evelyne Furtado disse...

Ninguém foge de si mesmo...
De outro lado fugir para o Brasil é vir para o paraíso. Desculpe a falta de modéstia, Capitão, hehe.

O Guardião disse...

Conheço quem tenha fugido para o Brasil, fugindo de uma vida má noutras paragens e esperando nessa imensidão encontrar uma oportunidade na vida. Há quem o tenha conseguido, os restantes voltaram. Muitos vão apenas em busca de um sonho, outros de novos ares, alguns em busca do desconhecido ou apenas do que imaginaram. Em qualquer parte podemos encontrar o nosso porto de abrigo, assim consigamos adaptar-nos e viver de acordo com a terra.
Cumps