quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Aos Meus Amores

A paixão com que todos nós sonhamos é quase sempre mais forte do que o amor que podemos sentir por uma mulher. Elas estão à margem, ao lado do amor. Mas como não as entendi até agora, também não é com esta idade que as coisas vão mudar...
Eu sou um nómada, não nasci para ficar preso a um lugar nem a uma profissão nem a uma pessoa. Preciso de mudar, ver o outro lado da colina, atravessar o oceano, embora isso por vezes seja desastroso.
Eu preciso errar, tentar, errar ainda. Aliás, nunca ninguém morreu de humilhação. O ridículo não mata, nunca matou. O que conta na vida é a intensidade, não é a duração. Era isso que gostaria de vos explicar meus amores e vocês nunca entenderam. Sou marinheiro sonhador, solitário e desencantado.
Agradeço tudo o que me deram, principalmente os momentos de pura felicidade que tive na vossa companhia.

7 comentários:

Cristina disse...

Como marinheiro que és, deixas um rasto de paixões em cada porto. Percebi o alcance das tuas palavras! Um beijo grande

O Réprobo disse...

Até ao dia...
O Caro Capitão-Mor conhece a categoria antropológica "Nómadas Sedentarizados"?
Abraço

JuliaML disse...

Capitão,

A experiência e os "books" dizem-me que os "nómadas" são os que mais rápido se deixam apanhar, porque incautos.

beijinho

Carla disse...

claro que sim capitão e sabes porquê?
porque essa paixão sonhada é só nossa, somos nós que a alimentamos sem os contratempos da vida diária.
quanto ao resto que seja sempre um marinheiro sonhador, mas que consigas descobrir o encantamento, nem que seja na salgada maresia dos mares que percorres

Gi disse...

Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: Aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Florbela Espanca

Hoje lembrei-me dela ao escrever um comentário. Acho que fica muito bem aqui no teu post, coaduna-se um pouco com o que dizes.

Tenho andado arredada do blogue, publico às pinguinhas e tenho primado pela ausência nas caixas de comentários . As razões são diversas, se tivesse o teu contacto já teria dado uma pequena explicação. Ficam aqui as minhas desculpas, é sempre um prazer vir awui e receber-te no meu canto.

Deixo-te um beijinho e um desafio. É sobre música,nada difícil :)

av disse...

Oh, meu caro Capitão... então não sabes que esse "nómada, marinheiro sonhador, solitário e desencantado" é exactamente o perfil mais irresistível para as mulheres?? Para além de despertar nelas o instinto de protecção, esse é o maior desafio: conseguir a proeza de tornar um nómada num sedentário! E conseguem-no, na maioria das vezes. Pelo menos na vida real, porque um sonhador nunca deixa de sê-lo, lá no fundo. Valha-nos isso.
Um beijo

Paula Crespo disse...

Navegar é preciso, viver não é preciso, já dizia Fernando Pessoa, a que Caetano juntou a música e a voz, e a que eu junto a explicação, tirada do "Jornal de Poesia" brasileiro:
"Navigare necesse; vivere non est necesse" - latim, frase de Pompeu, general romano, 106-48 aC., dita aos marinheiros, amedrontados, que recusavam viajar durante a guerra, cf. Plutarco, in Vida de Pompeu]
Penso que está tudo dito...
Bjs e boa semana!