sexta-feira, 16 de março de 2007

Com legendas!?


A Mostra Internacional de Cinema na TV Cultura, apresentada pelo crítico Leon Cakoff, exibe hoje (22.40h), o filme Capitães de Abril (Portugal, 2000), realizado por Maria de Medeiros. O enredo passa-se em Portugal, na década de 70, e traça um panorama da Revolução dos Cravos que acontecia na época e que mudou os rumos políticos e sociais do país. O longa-metragem começa ao som de Grândola - Vila Morena, canção proibida, que toca na rádio como sinal planejado para o início do golpe de Estado. Pela voz do cantor Zeca Afonso, as tropas rebeldes tomaram os quartéis e entraram em Lisboa, sob o comando de jovens militares que lutam pela paz e liberdade, mas sem desrespeitar os civis ou fazer uso da violência. Essa luta se distingue das outras pelo carácter pacífico e lírico. A idéia do filme é mostrar o olhar de uma geração nascida da liberdade, colocando em perspectiva os momentos de intensa paixão política. No elenco, Stefano Accorsi, Maria de Medeiros, Joaquim de Almeida, Frédéric Pierrot, Fele Martínez, entre outros. È curioso que a programação deste filme na TV Cultura, se repete num curto espaço de meses. Será que também irão repetir a colocação de legendas?

Este é um fenómeno algo estranho para a minha compreensão. Será assim tão complicado para os brasileiros, entenderem o sotaque lusitano? Este pormenor tem deturpado as trocas culturais entre os dois países desde sempre. Basta contabilizar o número de espectáculos musicais, telenovelas e peças teatrais brasileiras que têm lugar em Portugal. No sentido inverso, são feitas algumas investidas quase sempre mal sucedidas e, verifico que apenas a literatura nacional tem uma boa aceitação junto do público brasileiro. Lamentavelmente, creio que esta situação irá manter-se no futuro, visto que a sociedade brasileira se aproxima cada vez mais da cultura norte-americana em detrimento das influências europeias e lusófonas. De qualquer modo, trata-se de uma excelente oportunidade para os meus amigos brasileiros conhecerem um pouco do cinema que se faz no meu país.

25 comentários:

TONY, Duque do Mucifal disse...

já uma vez tocaste nesse ponto. cá levamos com as telenovelas mesmo que não se perceba o significado das palavras. mas nunca conseguimos exportar.
mas amigo, o cenário está a mudar. o rui vilhena está a fazer com que o publico portugues consuma cada vez mais e mais telelnovelas nacionais!

Rubina disse...

É uma realidade contra a qual nada podemos fazer. Os brasileiros sentem um grande fascínio pelos vizinhos do norte, leia-se EUA, não percebo porquê pois há muito pouca coisa que admire por lá, e falo com conhecimento de causa. Não deixa de ser curioso ser o Rui Vilhena, um brasileiro, a fazer com que o público português consuma novelas nacionais...

Tati disse...

Bom, sobre a questão cultural da influência, acho vasta demais no caso brasileiro, uma vez que somos um país enorme e dividido nesta questão. Sou filha de gaúcha e vejo que no sul do país a influência ainda é bastante européia.
No caso de Portugal, acho que chegou a hora de sermos muito francos e, infelizmente, aceitarmos que, na prática, não somos mais países irmãos. E pra ser bem sincera, essa sensação me ficou mais forte aqui, neste blog, ao longo do tempo, não através dos posts, mas pelos comentários. Sinto, e posso estar enganada, um ressentimento português em relação ao Brasil, comentários quase sempre negativos e depreciativos. Gostaria de estar enganada, mas é essa a sensação que me fica.
E no sentido oposto, não nos esqueçamos que o Brasil é independete há simples 185 anos, o que historicamente é pouco. Assim, talvez a recusa da cultura portuguesa em um âmbito mais geral (e digo assim, pois pessoalmente é o caso oposto. Meu pai é de Castro Daire, tenho ainda lá primos e me sinto muito ligada à cultura. Por isso minha opinião vem dos dois lados da história) venha de uma necessidade de busca de identidade, ainda embaçada, do país. O Brasil ainda não é Nação, ainda não se achou culturalmente. Por isso a bagunça que ainda temos aqui. Além do mais, o tamanho do território dificulta muito este processo....

Ufa, vou falar da língua em outro comentário, pra variara me alonguei demais.

Tati disse...

´Sou muito acostumada com a variante portuguesa da nossa língua. Pai e madrinha vieram diretamente de lá, ouço Fado há pelo menos uns 16 anos e por amor à língua, me formei nela.
Pois bem.
Um belo dia, em NY, entro no elevador e me vejo em meio a um grupo de homens falantes. Falavam rápido e eu nada compreendia. Pensei "acho que é árabe!" "não, parece francês!"... De repente, uma palavra me direciona!!!
"PORTUGUÊS!" Não acreditei, eu não reconheci a língua, a MINHA língua!
Legendas no filme, capitão, pode ser um exagero, mas certamente muita gente não entende a variante européia se falada muito rápido e com gírias. Isso acontece aqui mesmo... Muitos nordestinos são incompreensíveis para nós do sudeste, mas incompreensíveis meeesmo. Ontem mesno vi um documentário na GNT em que havia LEGENDA para a fala de um rapaz do NE!!!!!!!!! Brasileiro....

Coisas da língua...

Grande abraço!

Capitão-Mor disse...

Tati:
Creio que tocaste na ferida. Creio que nos últimos anos, as relações luso-brasileiras tornaram-se de certo modo neuróticas. Ambos os países sentem um medo terrível de serem ultrapassados um pelo outro. Também partilho que Portugal e Brasil não são mais países irmãos. Entendo a parte brasileira que não vislumbra mais valias nesse laço ancestral. Do lado português, creio que é a velha mania de nos sentirmos em pontas dos pés. A partir da entrada na UE, muitos portugueses acreditam-se muito ricos com os seus EUROS e tendem a acreditar que vivem nalguma superpotência. E depois, há toda aquela questão da imigração e da prostituição que promoveu uma certa xenofobia no meu país. Por vezes, esquecemos que há uns anos atrás, muitos compatriotas nossos também iam para outros países fazer a porcaria que os outros não queriam. Aliás, a primeira vaga de imigração portuguesa para o Brasil foi constituída por pessoas extremamente atrasadas e que também vinham fazer trabalhos menores. O Portugal dos Pequeninos tem sorte do Brasil não saber aproveitar todas as suas riquezas na sua plenitude. A corrupção e uma classe política desonesta arrasa com o seu desenvolvimento. Caso contrário, você não se iriam lembrar jamais de Portugal. Neste momento partilhamos uma língua em comum e pouco mais...
Abraço

Miguel disse...

Pelos vistos, é dificil para eles nos entenderem ...!

Nós somos mais "poliglotas" e percebemos todas as linguas ...!

Um BOM FDS!
Um abraço da M&M & Cª!

Teresa Durães disse...

na minha opinião nada tem a ver com xenofobia ou manias. os brasileiros aqui (dos que conheci e conheço, são amigos) têm certas reticências contra os portugueses, julgam-se alvo de uma conspiração geral. Como os portugueses em França e no Brasil. Os portugueses ainda são emigrantes. somos tanto dentro como fora (10 milhões emigrados). O povo brasileiro não está habituado a emigrar e estranha.

(isso de país irmão nunca existiu, pura propaganda. Nenhum país colonizado´quer ser irmão do país colonizador)


O certo é que qualquer emigrante em qualquer parte do mundo vai fazer o trabalho que o povo desse país não quer fazer porque é o emprego que resta (não é preciso muito para se entender isto).

Agora, quanto às legendas, na minha opinião só têm um motivo: nós somos poliglotas. Os Espanhóis não nos entendem e nós entendêmo-los. E também dá para entender os Italianos. Os Russos são como nós, num instante aprendem uma língua.

Teresa Durães disse...

boa tarde (sorry, esqueci... :)))

Bel disse...

Sugestão anotada! E com esse tempo chuvoso, um filme cai muito bem!

Cheiros,

Mel disse...

Capitão, uma boa dica essa sua! Quanto às diferenças do português do Brasil e de portugal, confesso que encontro dificuldade em algumas palavras e no próprio sotaque de vcs... Aprendi um pouco mais sobre suas palavras visitando os blogs portugueses (adoro!) e das últimas vezes que comprei livros, um deles era de uma escritora portuguesa, Alma de Pássado é o nome do livro. Já ouviste falar?
Aproveite o fim de semana!
Bjo

freemind disse...

Os brasileiros as vezes, nesse aspecto da comrpeensão, lembram-me um bocado os espanhois, que nós percebemos bem... e eles não apanham um boi do que falamos!! Para mim: porque nem se esforçam!!

Mas si você falá assim e dissé às palavra com um sotaqui... eles até tão percebendo você... ou si hablar com los vizinhos um portuganhol, todo o santo espanhol compreende.

E depois venham-me cá dizer que é uma questão de língua... eu diria de burrice e má vontade, isso sim... que me desculpem, mas é o que eu digo até aos amigos que são brasileiros ou espanhois.

Bom fim semana.

Tati disse...

Caros comentaristas portugueses que se acham poliglotas.... Desculpem-me cortar o barato de vocês, mas o fenômeno que ocorre entre vocês e os espanhóis acontece da mesma maneira entre brasileiros e argentinos... Nós os entendemos perfeitamente e eles ao ouvirem o português parecem escutar russo...
E mais além.....
Já vi muitos portugueses NÃO entenderem o que falamos no Brasil, então não é uma questão de ser "poliglota" ou não, eu mesma falo fluentemente 4 línguas e não entendi os portugueses em NY.
E não acho que seja falta de esforço, acho que é simplesmente falta de "ouvido", alguns têm outros não...
Abraços a todos!

Maríita disse...

Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, a verdade é que o ouvido tem que ser treinado para ouvir e gostar do que ouve. Eu já tive muitos problemas no estrangeiro, e hoje em dia, que falo um espanhol com sotaque sul americano (à sudaca mesmo) já fui muitas vezes insultada, no entanto, em muitas coisas sei que nem compreendem o que eu digo porque em giria o sul americano é bem diferente do espanhol peninsular. O mesmo se passa com o brasileiro e o português, uns falam e os outros não entendem... é uma questão de ouvido e de vontade.

Breaking the Waves disse...

Parece estranho é verdade, afinal todos falamos português... mas nem será tão estranho assim.
Quem nunca teve dificuldade dentro do próprio País em perceber algumas coisas?
Sem qualquer tipo de ofensa, tive muitas vezes dificuldades em perceber madeirenses, é a pronúncia, são as expressões utilizadas, o sentido de algumas palavras sei lá que mais... E não era uma questão de vontade...

Vladimir disse...

O que é para si o destino?

Paulo Sempre disse...

Portugal-Brasil...versos, fado (saudade nostalgia) Samba (exaltação, devaneios). Assim, a comunicação, via "canal Camões", torna-se "pesada" e equivoca...
Abraço
Paulo

AnadoCastelo disse...

Pois essa também ainda não compreendi. Nós temos cá telenovelas brasileiras e não pomos legendas. É realmente uma questão de ouvido e de vontade. Se não se sabe a definição de uma palavra não é vergonha nenhuma perguntar ou ir a un dicionário.
Bjs e bom fim de semana

Olho Atento disse...

Vim retribuir a visita que me fez e tecer elogios à obra que desenvolve no seu blog.
Escrever com esta qualidade e quantidade de visitas é obra!
Siga em frente que eu lhe seguirei as peugadas!

Ana disse...

Nós estamos muito habituados a ouvir o sotaque brasileiro através das inúmeras novelas e séries que passam no nosso país, mas mesmo assim, confesso que há certas pronúncias que eu tenho uma certa dificuldade em entender.
Tenho lidado bastante com brasileiros, não só a nível profissional mas tambem pessoal ( e já tenho brasileiros na família) e já me deparei algumas vezes a não perceber nada do que estão a dizer. Não tem tanto a ver com as expressões usadas, porque essas vão-se enraízando por cá e ás tantas tambem as usamos, mas sim com o sotaque de algumas regiões do Brasil.
Nem é preciso ir mais longe...eu mesma mal entendo os Açoreanos e são portugueses!

Beijocas e bom fim-de-semana

Anokas

Beetle Bug disse...

Tem graça, não fazia ideia que legendavam as produções portuguesas. Vá-se lá entender...
Um bom fim de semana *

Pedro Ramalho Silveira disse...

Acho que só sendo brasileiro pra entender como é terrivel ouvir um português falando. É como se alguém enfiasse uma laranja, das grandes, dentro da boca e tentasse falar. Enfim, é um som horrivel, e segundo uma amiga lisboeta a cada nova geração de portugueses a coisa parece que fica pior.

Claudinha disse...

Valeu pela dica capitão! Mesmo tendo chegado atrasada, vou conferir assim que puder! Um beijo!

Pêro Vaz Caminha disse...

pedro ramalho silveira said:

"Acho que só sendo brasileiro pra entender como é terrivel ouvir um português falando. É como se alguém enfiasse uma laranja, das grandes, dentro da boca e tentasse falar. Enfim, é um som horrivel"

grande demonstração de tolerância para com a diferença sócio-linguística (quiçá, cultural), enfim, grande sentido do outro. Caro Silveira, o seu problema com o "português" (sic) e de muitos de seus patrícios é um muy agudo síndrome de inferioridade. Inferioridade por um país tão geograficamente grande como o seu ter sido "achado" e colonizado por um rectângulo minúsculo do outro lado do oceano. E potenciado pelo facto de el-rey D. Pedro não ter resolvido a coisa de outra forma, de uma forma que potenciasse uma guerrinha colonial para se livrarem convenientemente do colonizador. Ai, Silveira, que pena que não tivesse sido o Cortéz a descobrir Vera-Cruz...

correioverde disse...

Olá.
Vim retribuir a visita, os parabéns e o abraço :)
boa noite
Ana

lusobrasmex disse...

Olá a todos / Oi galera
Sou portugues, de Aveiro, e já vivi dez anos em Sampa (S.Paulo). Antes de viver no Brasil, suspeitava (depois fiquei com a certeza) de que as diferenças/dificuldades que existem na compreensão do portugues pelo brasileiro e vice-versa se devem em grande parte ao ´ranso colonial´ que todavia convém ao brasileiro alimentar (isto explica tambem as ´piadas de portugues´ e outros ´sarros tirados´ dos tugas. Portugal é (e creiam-me sempre foi)muito menos importante para o Brasil que o reciproco. Os portugueses sempre foram e serão servilistas e subservientes porque isso é da sua natureza como povo, só assim se explica nao termos tambem imposto subtítulos/legendas nas produções canarinhas . Este tema dos sotaques para mim é um ´sexo dos anjos´ ou ´conversa pra boi dormir´ pois nunca terá uma conclusão, um desfecho a contento de ambas partes. Creio que o melhor que há fazer será ambos povos se respeitarem (nao como irmaos, tambem nao comungo desse conceito já caduco e saudosista) mas como povos que queira-se ou nao tem identidade comum a ser respeitada. Ninguém no presente tem culpa do que fizeram os antepassados.
Enfim ... desculpem este parafraseado já algo extenso.
Ninguém citou que as novelas da TVI que foram exibidas na BAND nem sequer foram legendadas, mas sim dobradas (dubladas como se diz em Br) e isso sim é um absurdo dos absurdos ... aí uma vez mais o portuga cedeu, porque é mais importante fazer negócio que preservar a língua (a isto me referia eu ao servilismo e a subserviencia portuguesas)
Abraço para todos desde o México
;-)